Mundo

Pequim apoia nova cimeira entre Kim Jong-un e Trump

O Presidente chinês, Xi Jinping, disse ao líder norte-coreano, Kim Jong-un, que Pequim apoia uma eventual segunda cimeira com o Presidente norte-americano, Donald Trump, e que espera que os dois países encontrem um ponto intermédio, informou ontem a agência de notícias Xinhua.
Para o Presidente chinês, existe uma “oportunidade histórica” para um “acordo político na península core-ana”. Xi fez estas declara-ções no segundo dia da visita de Kim Jong-un a Pequim a seu convite.

Presidente chinês recebeu o líder norte-coreano em Pequim na primeira visita de 2019
Fotografia: DR

Xi Jinping acrescentou que a República Popular da China está disposta a ter um “papel positivo e construtivo” para manter a paz e a estabilidade, e para obter a 'desnuclearização' na península coreana. Segundo a agência de notícias norte-coreana KCNA, “Kim Jong-un expressou preocupação com a paragem no processo que vai  melhorar os laços entre Estados Unidos e a RPDC (Coreia do Norte) e nos diálogos sobre a 'desnuclearização'”, mas garantiu que “o princípio de busca de uma solução pacífica através do diálogo não mudou”.
O líder norte-coreano expressou vontade de compartilhar com Pequim a evolução das negociações que mantém com os Estados Unidos sobre o tema.
Kim Jong-un e Xi Jinping abordaram várias questões de natureza bilateral e internacional, e destacaram a relevância especial das “ne-gociações sobre a situação na península coreana e a desnuclearização”, assunto em que Pequim “mostrou o seu apoio”, segundo a agência KCNA. Em particular, os dois líderes discutiram em profundidade a realização de uma “investigação e controlo” do referido processo.
O diálogo entre os Estados Unidos e Coreia do Norte sobre o arsenal nuclear de Pyongyang estancou após a primeira cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un, realizada em Junho passado, em Singapura, que terminou com uma vaga declaração de intenções sobre a 'desnuclearização'.
A “KCNA” também destacou que Kim e Xi concordaram em expandir os seus intercâmbios nos campos políticos, económico, militar e cultural, e que Xi aceitou um convite para visitar a Coreia do Norte “numa data conveniente”, mas sem especificar qual.

Tempo

Multimédia