Mundo

Peritos europeus enaltecem a paz

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia (UE) eliminaram, ontem, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) da lista de organizações terroristas, durante um Conselho em Bruxelas, noticiou a agência Efe.

A decisão  já havia sido tomada de antemão ao nível de embaixadores dos Estados-membros e ontem os ministros ratificaram este consenso por meio de um ponto sem debate na agenda da reunião.
A UE já mantinha as FARC “suspensas” da lista de terrorismo desde o dia 26 de Setembro de 2016, de modo a incentivar o processo de paz na Colômbia. As FARC foram incluídas na lista em 9 de Setembro de 2001.
A suspensão permitia travar provisoriamente as sanções vinculadas à presença da guerrilha na lista, como  o congelamento de bens e a proibição de disponibilizar fundos para os seus integrantes.
A lista da UE em matéria de terrorismo inclui pessoas ou grupos que actuam dentro ou fora do bloco e é revista pelo Conselho (instituição na qual estão representados os Governos dos Estados-membros), pelo menos a cada seis meses.
Os integrantes da lista podem ser alvo de congelamento de fundos ou bens financeiros na UE e de medidas restritivas em relação à cooperação policial e jurídica.
As FARC era um dos vários grupos de instituições e pessoas que tinha a situação complicada devido às acções militares e políticos que chocavam com os valores da União Europeia, tendo saído da situação graças ao seu engajamento na paz.

Tempo

Multimédia