Mundo

Polícia inglesa descobre 39 cadáveres em camião proveniente da Bulgária

Um total de 39 corpos foram descobertos, hoje, no interior de um camião em Essex, Inglaterra. As autoridades estão a investigar como homicídio e prenderam o condutor do veículo.

Fotografia: DR

O Governo búlgaro informou que o camião encontrado no Sudeste de Inglaterra com os 39 cadáveres no interior está registado na Bulgária, mas é propriedade de uma empresa detida por uma mulher de nacionalidade irlandesa.
O Ministério dos Negócios Estrangeiros búlgaro precisou que o camião da marca sueca Scania está registado na cidade portuária búlgara de Varna, junto ao Mar Negro, mas essa será a única ligação ao país, onde não há registo de passagem do veículo desde 2017.
A Polícia britânica informou, entretanto, que o camião entrou no Reino Unido na noite de terça para quarta-feira pelo porto de Purfleet, no rio Tamisa, procedente de Zeebruges, na Bélgica.
“Pensamos agora que o camião viajou de Zeebruges para Purfleet”, onde chegou por volta das 00h30 hora local (a mesma hora em Angola), indicou um comunicado da Polícia de Essex, que anteriormente tinha avançado que o veículo teria entrado no país pelo porto de Holyhead (País de Gales), na costa oeste, que serve a cidade de Dublin (Irlanda).
A Procuradoria Federal da Bélgica informou já que abriu uma investigação sobre este caso, uma vez que o veículo terá passado pelo território belga.
As autoridades belgas não deram pormenores sobre o trajecto presumivelmente feito pelo camião naquele país.
O camião, que transportava um contentor onde estavam os 39 cadáveres, foi encontrado ontem de madrugada na zona do Parque Industrial de Waterglade em Grays (condado de Essex), a leste de Londres.
A Polícia, que foi chamada ao local pelos serviços de emergência, abriu uma investigação por homicídio.
Um homem de 25 anos oriundo da Irlanda do Norte que conduzia o camião foi detido sob a suspeita de homicídio, informou a Polícia britânica.
O homem não foi formalmente acusado, nem identificado. A Polícia não ligou formalmente estas mortes ao tráfico de pessoas, mas as suspeitas apontam nesse sentido pela forma como as vítimas estavam amontoadas no interior do contentor do camião.
As informações disponíveis indicam que são 38 adultos e um adolescente, muito provavelmente imigrantes que procuravam entrar de forma ilegal no Reino Unido.
O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bulgária havia dito antes que “não tinha informações” sobre o incidente, antes dos relatos da imprensa britânica. Um dirigente afirmou ao jornal búlgaro Dnevnik: “A nossa “Embaixada está em contacto com as autoridades locais e a seguir o caso”.
Em conferência de imprensa, por volta das 11h30, a Polícia britânica deu conta que as 39 pessoas estavam já mortas quando foram encontradas. Pippa Mills, chefe-adjunta, explicou que ainda não foi possível identificar qualquer das vítimas, nem a sua origem.
“A identificação das vítimas continua a ser a nossa prioridade número um”, afirmou Pippa Mills.

Boris Johnson chocado
O Primeiro-Ministro Boris Johnson afirmou estar “chocado com este trágico incidente”.
O Chefe do Governo britânico disse que está a receber “actualizações regulares e o Ministério do Interior trabalhará em estreita colaboração com a Polícia de Essex”, com o objectivo de estabelecer exactamente o que aconteceu. “Os meus pensamentos estão com todos aqueles que perderam a vida e os seus ente-queridos.”
No Parlamento, onde se discute o calendário do Brexit, Johnson abriu a sessão lamentando a “horrível tragédia” de Essex. Pela oposição, Jeremy Corbin, líder dos Trabalhistas, também reagiu. “Esta é uma tragédia humana inacreditável, que aconteceu no nosso país neste momento”, disse.
O Primeiro-Ministro irlandês, Leo Varadkar, disse no Parlamento em Dublin que existem “relatos de que o camião pode ter passado pela Irlanda. Acho que os pensamentos de todos nesta Câmara estão com os que faleceram e as suas famílias. É uma tragédia realmente terrível e faremos as investigações necessárias se for estabelecido que o camião passou pela Irlanda”, acrescentou.
71 mortos na Áustria
Não é a primeira vez que tragédias como esta acontecem, envolvendo camiões que transportam migrantes. Um total de 71 migrantes foram encontrados num camião frigorífico abandonado numa estrada na Áustria, em Agosto de 2015. Oriundos da Síria, Iraque e Afeganistão, os migrantes, quatro dos quais eram crianças, morreram asfixiados no compartimento estanque que os traficantes recusaram abrir. O veículo pesado tinha iniciado viagem na Hungria, onde o caso foi julgado. Os quatro homens suspeitos de terem participado no transporte ilegal de pessoas foram condenados a 25 anos de prisão.
As mortes destes 59 homens, oito mulheres e quatro crianças foram dos mais graves incidentes deste género na rota dos Balcãs, usada por centenas de milhares de pessoas para fugir à pobreza e à guerra no Médio Oriente, África e Ásia.
Em Inglaterra, um incidente similar desta gravidade remonta ao ano 2000. Em Junho desse ano, os corpos de 58 imigrantes chineses foram encontrados num camião em Dover. Um motorista holandês foi preso no ano seguinte, por homicídio.

Tempo

Multimédia