Mundo

Polícia mata homem negro com mais de 20 tiros nas costas nos Estados Unidos

Um homem negro morreu após ser baleado pelas costas mais de 20 vezes pela polícia esta segunda-feira à tarde no Bairro de Westmont em Los Angeles, Estados Unidos da América.

Fotografia: DR

Dijon Kizzee, de 29 anos, estava a andar de bicicleta quando a polícia o tentou mandar parar por violar uma regra do código da estrada.

O Departamento da Polícia de Los Angeles e o advogado do jovem contam, no entanto, versões diferentes do que se passou. Segundo Brandon Dean, porta-voz da esquadra local, Kizzee saiu da bicicleta e fugiu, sendo que os polícias foram atrás dele.

Os agentes terão disparado sobre Kizzee quando este deixou cair uma arma semiautomática embrulhada num pano e deu um murro num deles. O mesmo porta-voz disse não saber que regra do código da estrada o jovem terá violado em concreto nem quantas vezes os polícias dispararam sobre ele, mas disse que foram menos de 20.

"Eles dizem que ele fugiu, deixou cair um pano e tinha uma arma. Não pegou nela mas os polícias balearam-no mais de 20 vezes pelas costas e depois abandonaram-no durante horas", denunciou no Twitter Benjamin Crump, o advogado que está a representar a família de Dijon e que também representou as famílias de George Floyd e Jacob Blake.

Na sequência da morte de Dijon Kizzee, têm existido protestos em Los Angeles devido à violência policial contra pessoas negras. Recorde-se que George Floyd foi morto por um polícia em maio e, mais recentemente, Jacob Blake foi atingido pela polícia, situação que o deixou paralisado.

Donald Trump chegou a Kenosha, onde se têm registado vários protestos contra a violência exercida sobre Blake, esta terça-feira, para se reunir com os seus apoiantes, defendendo a polícia contra as críticas sobre a sua actuação. As eleições presidenciais acontecem em Novembro.

Tempo

Multimédia