Mundo

Presidente chinês acerta estratégias com líder russo

O Presidente chinês realiza esta semana uma visita à Rússia, onde participa no 23º Fórum Económico Internacional e acertará estratégias com o “grande” parceiro internacional, face às crescentes tensões com os EUA.

Líder chinês, Xi Jinping, inicia amanhã uma visita de Estado de alguns dias à Federação Russa
Fotografia: DR

Xi Jinping e Vladimir Putin ”vão actualizar e fortalecer as relações”, num momento em que a situação internacional apresenta “mudanças sem precedentes no espaço de um século” e sofre “grande impacto do unilateralismo”, disse ontem o vice-ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Zhang Hanhui, citado pela agência noticiosa Xinhua.
Sem referir a guerra co-mercial entre a China e os EUA, Zhang sublinhou que as relações entre Pequim e Moscovo são cada vez mais “maduras, estáveis e fortes” e serão reforçadas na visita de três dias para a qual Xi Jinping parte amanhã.
“Esta visita consolidará a base política das relações sino-russas, reafirmará o apoio mútuo em questões que envolvem as respectivas preocupações fundamentais e assegurará que as relações não serão afectadas por qualquer mudança na situação internacional”, acrescentou Zhang Hanhui.
Especialistas prevêem que Pequim e Moscovo continuarão a traçar estratégias comuns, sobre a Venezuela ou a Coreia do Norte, enquanto a guerra comercial com Washington se agrava.
No entanto, Putin poderá também tentar explorar as disputas comerciais entre Pequim e Washington para melhorar a capacidade de manobra da Rússia nas relações com os dois países.
A Xinhua avançou que os dois Chefes de Estado deverão assinar documentos de cooperação em áreas como agricultura, finanças, ciência e tecnologia e comércio electrónico.
Os dois presidentes devem ainda discutir projectos de infra-estrutura, como a ponte que ligará Heihe, cidade fronteiriça da província chinesa de Heilongjiang, com a cidade russa vizinha de Blagoveshchensk, permitindo triplicar o volume actual de carga naquela área.
Xi participará ainda num evento para celebrar o 70º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas e no 23º Fórum Económico Internacional, em São Petersburgo, onde apresentará ideias para o “desenvolvimento sustentável, a defesa do multilateralismo e a melhoria da go-
vernação global para o desenvolvimento e a prosperidade”, segundo a Xinhua.
A cooperação militar entre os dois países tem também aumentado, com intercâmbios de alto nível entre as forças armadas, para marcar o 70º aniversário das relações, e que incluirão “formação em combate real e outras competências militares”, segundo o porta-voz do Ministério chinês da Defesa, Wu Qian.
As marinhas dos dois países conduziram um exercício naval conjunto, no início de Maio, em Qingdao, na província de Shandong, leste da China, destinada a preparação para o “combate real” e reforçar a “capacidade de comando conjunto e resposta a ameaças à segurança marítima.”

Tempo

Multimédia