Mundo

Presidente da Assembleia acusado de agir por interesse

O presidente da Assembleia Nacional francesa, Richard Ferrand, foi acusado na noite de quarta-feira de "agir ilegalmente por interesse" particular num caso de favoritismo quando dirigia uma sociedade mutualista.

Presidente da Assembleia de França, Richard Ferrand
Fotografia: Dr

A acusação a um presidente da Assembleia Nacional - quarto na hierarquia do Estado francês - durante o seu exercício é inédita.
Embora vários ministros já tenham sido forçados a renunciar após revelações polémicas desde a eleição do Presidente francês, Emmanuel Macron, em 2017, este caso volta a assombrar a Presidência.
O Presidente francês, de quem Richard Ferrand é próximo, apoiou-o publicamente.
Emmanuel Macron mantém "toda a sua confiança" em Ferrand, disse ontem o porta-voz do Governo francês, Sibeth Ndiaye.
É "um homem leal, certo, com um caminho político exemplar", insistiu Sibeth Ndiaye, pedindo para respeitar "a presunção de inocência".
A acusação permitirá que (Ferrand) tenha acesso ao processo e, a partir disso, poderá "defender-se, lutar", disse Ndiaye. />Richard Ferrand foi indiciado na noite de quarta-feira por um juiz em Lille (Norte), após quase quinze horas de interrogatório.
O político é suspeito de agir ilegalmente por interesse particular depois que a empresa Mutuelles de Bretagne, que Ferrand dirigia na época, decidiu em 2011 alugar imóveis comerciais pertencentes à sua companheira.
O presidente da Assembleia Nacional francesa nega qualquer irregularidade.
Uma primeira investigação foi lançada em 2017, depois de revelações feitas pelo jornal "Canard Enchaîne", fazendo Ferrand, ministro da Coesão e dos Territórios, deixar o Go-verno de Macron depois de um mês apenas. O procurador de Brest abriu uma investigação preliminar em Junho de 2017, mas esta foi arquivada em Outubro.A associação anticorrupção Anticor relançou o caso, entrando com uma segunda queixa.

Tempo

Multimédia