Mundo

Presidente do Zimbabwe quer reintroduzir moeda nacional exclusiva

O Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, afirmou hoje que espera reintroduzir uma moeda nacional, defendendo que esta é uma medida essencial para o desenvolvimento do país.

A desvalorização de 2009 levou ao abandono da moeda nacional para a introdução do dólar americano
Fotografia: DR

"Como país, devemos ter a nossa moeda", disse o Presidente, num dos bairros da capital Harare, citado pela "media" local, acrescentando que "um país não se pode desenvolver usando a moeda de outros países sem a sua própria moeda".
De acordo com a Lusa, o Presidente recordou as consequências da elevada inflação há cerca de dez anos. "Entre 2008 e 2009, a moeda do nosso país desvalorizou e algumas pessoas tornaram-se milionárias e bilionárias devido à elevada inflação", afirmou Mnangagwa, citado pelo diário estatal "Herald".
"Na ocasião, o Governo decidiu adoptar um regime de múltiplas divisas, onde começámos a usar o dólar americano, o rand sul-africano, a libra esterlina (Reino Unido) e o pula (do Botsuana) para transacções. Foi uma medida política para responder aos desafios que enfrentávamos na altura. No entanto, não podemos continuar a avançar sem a nossa própria moeda. A África do Sul tem a sua própria moeda e quando lá vamos com dólares americanos ou com euros, temos de convertê-los para randes antes de fazermos transacções", concluiu.
O Chefe de Estado zimbabweano afirmou ainda que uma moeda apenas pode ser emitida pelos seus proprietários, e a única maneira de a obter é através de exportações, remessas da diáspora ou investimento estrangeiro, mas "enquanto país, devemos ter a nossa própria moeda", concluiu, explicando que, com a adopção de uma moeda própria deixará de ser possível adoptar divisas estrangeiras em transacções locais.
Em Fevereiro, o Zimbabwe anunciou a adopção do sistema de dólares de transferência bruta em tempo real (designado RTGS), abandonando a paridade dos dólares RTGS com o dólar norte-americano.
No poder desde o afastamento de Robert Mugabe, em Novembro de 2017, Mnangagwa venceu as eleições presidenciais de 30 de Julho do ano seguinte e prometeu relançar a economia e lutar contra a corrupção.
No início dos anos 2000, a expulsão de agricultores brancos resultou numa crise que levou à queda da moeda e a uma hiperinflação. Por não conseguir controlar a desvalorização, em 2009 o regime de Robert Mugabe abandonou a sua moeda e adoptou o dólar americano.
A escassez do dólar levou a uma quase paralisação da economia do país. Em 2016, o Governo tentou remediar a situação com a introdução de "notas de obrigação", títulos que teriam um valor semelhante ao dólar americano, mas a falta de confiança dos operadores económicos levou à uma rápida desvalorização.

 

 

Tempo

Multimédia