Mundo

Primeiro “afronauta” morre ao volante de moto

Mandla Maseko, um sul-africano de 30 anos, ia ser o primeiro negro africano a viajar no espaço, mas foi ao volante de uma mota que perdeu essa e todas as oportunidades. Morreu no sábado à noite, comunicou a família.

Fotografia: DR

Depois de bater um milhão de candidatos de 75 países, Mandla Maseko deveria ter voado em 2015, mas o momento foi adiado. Agora, para sempre.
O "afronauta" (como lhe chamavam), de 30 anos, ganhou em 2013 o direito de realizar um voo de 103 quilómetros no espaço a bordo do vaivém espacial norte-americano Lynx Mark, noticiou a AFP. Bateu então um milhão de candidatos oriundos de 75 países e acabou seleccionado com outros 22 astronautas para realizar a viagem de uma hora que seria recordada para toda a vida. Para chegar a esse patamar, o jovem sul-africano superou vários testes de aptidão físicos e psicológicos no quadro do concurso organizado pela Academia Espacial Apollo AXE, patrocinado pela empresa britânico-holandesa Unilever e por uma empresa de turismo espacial, a Space Expedition Corporation (SEC).

Tempo

Multimédia