Mundo

Primeiro-Ministro checo supera moção de censura

O Primeiro-Ministro checo, Andrej Babis, superou ontem de madrugada uma moção de censura, a segunda desde que assumiu o cargo, há um ano, apesar das suspeitas de fraude e das manifestações para exigir a sua renúncia.

Fotografia: DR

Num debate parlamentar que se prolongou por 17 horas, Babis afirmou aos deputados que a moção, apresentada pela oposição, foi “uma tentativa de desestabilizar o país.”
No final do debate, a oposição não conseguiu os 101 votos necessários para fazer aprovar a moção.
Dos 170 deputados presentes, de um total de 200 que compõem a Assembleia, 85 votaram contra e 85 a favor.
O Governo de Babis é uma coligação entre o seu partido, a Aliança dos Cidadãos Descontentes e o Social-Democrata e conta com o apoio informal dos comunistas do KSCM.
Juntos, os três partidos têm 108 dos 200 deputados do Parlamento da República Checa. A oposição apresentou a moção de censura depois de um relatório preliminar da Comissão Europeia ter concluído que cerca de dois milhões de euros de fundos europeus foram atribuídos a empresas do grupo agro-alimentar, Agrofert, fundado por Andrej Babis.

Tempo

Multimédia