Mundo

Primeiro-Ministro tenta confirmação no cargo

O candidato do Partido Socialista Operário Espanhol e Primeiro-Ministro, Pedro Sánchez, vai tentar ser confirmado no cargo num debate de investidura que começa no dia 22 de Julho, apesar de não ter ainda os apoios necessários.

Fotografia: DR

Sánchez comunicou a data numa conversa telefónica que teve ontem com a presidente do Congresso dos Deputados, Meritxell Batet, a partir de Bruxelas, onde esteve retido na cimeira de líderes europeus que foi suspensa na segunda-feira e continuou ontem para tentar chegar a um acordo sobre a distribuição dos principais cargos da União Europeia.
"O debate de investidura inicia-se a 22 de Julho" e a primeira votação terá lugar no dia seguinte, 23 de Julho, anunciou Batet depois da conversa com Sánchez.
Sánchez e Batet defendem que o objectivo é que a investidura vá para a frente e não seja só um debate, apesar de o líder socialista ainda não contar com os apoios necessários - precisa de uma maioria absoluta na primeira votação (176 de 350 possíveis) e de uma maioria simples na segunda, 48 horas depois.
Caso falhe a investidura - Sánchez ainda não tem o apoio necessário para passar o teste - líder socialista tem dois meses para voltar a apresentar-se à votação. Caso esse prazo chegue ao fim, o rei irá dissolver o Congresso e o Senado e convocar novas eleições.
A partir do momento em que o rei dissolve o Congresso, começa a contar o prazo de 47 dias para a realização de eleições. Depois de em 2016 os espanhóis terem sido obrigados a ir novamente às urnas por os partidos não chegarem a acordo, o prazo foi reduzido (era antes de 54 dias), já que a campanha durará apenas uma semana e não as habituais duas. A investidura a 23 de Julho implica eleições a 10 de Novembro.

Tempo

Multimédia