Mundo

Principal líder opositor desiste das presidenciais

O principal dirigente opositor camaronês de origem anglófono, Ni John Fru Ndi, não é candidato à eleição presidencial prevista para final deste ano, nos Camarões, anunciou o próprio, na quinta-feira, em Bamenda, durante o congresso do seu partido, a Frente Democrática Social (SDF).

Fotografia: Reinnier Kaze | AFP


“Não vou apresentar  a minha candidatura (à investidura do partido para as presidenciais). decidi ceder o meu lugar aos jovens do meu partido”, declarou o presidente da SDF, partido do qual é líder desde a sua criação em 1990.
Opositor de sempre ao Presidente Paul Biya, Fru Ndi, já tinha concorrido às eleições presidenciais de 1992, de 2004 e de 2011, tendo boicotado o escrutínio de 1997.
Durante a campanha para as presidenciais de Outubro de 2011, John Fru Ndi, havia indicado que esse escrutínio era o último em que participava, mas alguns analistas viam na sua manutenção na liderança do partido o seu desejo de participar nas presidenciais de 2018.
A SDF deve escolher este fim-de-semana, o seu candidato para a eleição presidencial. Três candidatos manifestaram já a intenção de solicitar essa investidura: Joshua Osi, Joseph Mbah Ndam e Jean Tsomelou.
A desistência de Fru Ndi da corrida presidencial surge num momento de subida da tensão nas regiões anglófonas dos Camarões, onde o Governo ordenou o reforço da presença militar para fazer face à crise e aos protestos populares, com a criação de uma região militar com posto de comando em Bamenda.
A directiva, assinada pelo Presidente Paul Biya, estabelece uma “reorganização das forças de defesa do país baseada na divisão em duas da Região Militar Interarmas 2”, cujo quartel general se encontra  na cidade de Douala. Os líderes da comunidade anglófona dos Camarões emitiram, em Outubro passado, uma declaração unilateral de independência e criaram uma república denominada Ambazónia, a qual carece de reconhecimento internacional.

Tempo

Multimédia