Mundo

Processamento de dados emite tanto carbono como 21 milhões de carros

Os centros de processamento de dados da China produziram, em 2018, um volume de dióxido de carbono equivalente ao emitido por 21 milhões de automóveis, segundo um relatório da organização de protec-ção ambiental Greenpeace divulgado ontem.

Fotografia: Dr

Os centros armazenam conteúdos electrónicos, incluindo emails, fotos e vídeos, e consomem, globalmente, entre 3 e 5 por cento do total da electricidade, rivalizando com o sector da aviação em emissões de carbono. A China tem uma das maiores indústrias do mundo de processamento de dados, responsável pelo consumo de mais de 2 por cento do total da energia do país, detalha o relatório da Greenpeace.
O desenvolvimento do "big data" (processamento de grandes volumes de dados) é uma das prioridades da China, visando modernizar as indústrias nacionais e a administração pública, mas que tem suscitado críticas, por possibilitar ao regime chinês uma maior vigilância sobre os cidadãos.
O país asiático é também o maior emissor de gases poluentes do mundo e prometeu atingir o pico nas emissões de dióxido de carbono até 2030. Nos últimos anos, tem sido de longe o maior investidor global em energias renováveis, sobretudo solar.

Tempo

Multimédia