Mundo

Procuradoria-Geral da RDC interpela ministro do Interior

O ministro do Interior da República Democrática do Congo (RDC), Célestin Tunda Ya Kasende, foi interpelado pela Procuradoria-Geral da República, na sequência da proposta da reforma da Justiça feita por dois deputados do seu partido, noticiou, ontem, a AFP.

Justiça congolesa já estar a trabalhar à semelhança da de Angola
Fotografia: DR

Também o vice Primeiro-Ministro congolês é acusado de, por iniciativa pessoal, sem o conhecimento do chefe do Executivo e do Presidente da República, ter transmitido, desde 18 de Junho, observações do Governo sobre as propostas de reforma judiciária, feitas pelos deputados da FCC, nomeadamente Aubin Minaku e Garry Sakata da Frente Comum para o Congo (FCC), liderada por Joseph Kabila.

O acto suscitou uma vasta polémica porque, segundo vários partidos políticos, e mesmo a plataforma CACH que sustenta o Presidente, visa consolidar as atribuições do ministro da Justiça, aumentando a sua autoridade, numa altura em que o Chefe de Estado, Félix Tshisekedi, fez do reforço da Justiça uma das prioridades.

Na reunião do Conselho de Ministros de sexta-feira os seus membros foram surpreendidos com o facto de o ministro da Justiça, por iniciativa própria, ter feito observações e dado parecer sobre as propostas de Lei à Assembleia Nacional.

Tempo

Multimédia