Mundo

Puigdemont admite presidir Catalunha a partir da Bélgica

O líder separatista catalão, Carles Puigdemont, defendeu ontem que pode governar a Catalunha estando na Bélgica e, assim, evitar ser detido caso volte para a Espanha.

O dirigente catalão é considerado foragido pela Justiça, acusado de sedição e rebelião, após a frustrada tentativa de independência.
“Não se pode fazer de presidente, se eu for presidiário (...) A única maneira é poder continuar a fazer isso em liberdade e com segurança”, disse Puigdemont em entrevista à emissora Catalunya Radio.

Tempo

Multimédia