Mundo

Pyongyang dispensa a mediação de Seul

A Coreia do Norte avisou ontem a Coreia do Sul para abandonar a mediação entre Pyongyang e Washington, aumentando a pressão para que Washington elabore novas propostas sobre o programa nuclear.

Fotografia: DR

A declaração surgiu antes de o Presidente norte-americano, Donald Trump, iniciar uma visita de dois dias à Coreia do Sul, a partir de amanhã.
O chefe do Departamento de Assuntos norte-americanos do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Kwon Jong-gun, advertiu que matérias que digam respeito às relações com os EUA não voltarão a passar pela Coreia do Sul.
Por outro lado, o responsável negou a existência de contactos e negociações não oficiais entre as duas Coreias, contrariando recentes afirmações do Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e de outras autoridades de Seul.
“É melhor que as autoridades sul-coreanas se preocupem com os seus próprios assuntos domésticos”, disse Kwon.
As declarações do responsável norte-coreano surgiram depois de o Presidente da China, Xi Jinping, se ter reunido com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, durante a visita que Xi efectuou a Pyongyang, a primeira de um líder chinês à Coreia do Norte desde 2005. />Alguns especialistas consideraram que a viagem de Xi indicou que Pequim, principal aliado e financiador da Coreia do Norte, pretende desempenhar um maior papel enquanto mediador na questão nuclear, de forma a reforçar o estatuto junto dos EUA, o que seria uma mais-valia na disputa comercial que envolve as duas maiores economias do mundo.
Kwon reiterou a exigência anterior de Kim de que os EUA devem apresentar acordos nucleares realistas até ao final de Dezembro.
Não houve reuniões públicas entre os EUA e a Coreia do Norte desde o fracasso, em Fevereiro, da segunda Cimeira entre Trump e Kim, em Hanói, no Vietname.
Kim Jong-un pretendia o fim das sanções e Trump queria passos concretos no caminho da desnuclearização, mas não foi alcançado qualquer entendimento.
O fracasso do encontro foi também um golpe para o Presidente sul-coreano, que estabeleceu contactos com Washington e Pyongyang para facilitar as negociações entre os países para encontrarem uma solução diplomática para o programa nuclear norte-coreano.

Tempo

Multimédia