Mundo

Quase metade das crianças não vai à escola

Quase metade das crianças afegãs estão excluídas da escola, devido à guerra, à pobreza, ao casamento infantil ou a outros factores, revelou um relatório divulgado ontem pelo Governo e pela Agência das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

 

Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro

Segundo o estudo, 3,7 milhões de crianças em idade escolar (44 por cento) não vão à escola, o pior resultado desde 2002 e o fim do regime talibã. Desde a invasão norte-americana do Afeganistão, em 2001, que não se registava um declínio do acesso à escola e que o panorama da educação no Afeganistão vinha a melhorar, tanto para os rapazes como para as raparigas, proibidas pelos talibãs de frequentar a escola.
Segundo o estudo agora apresentado, as meninas são agora as mais afectadas, representando 60 por cento das crianças privadas de escolarização.
Nas regiões mais afectadas, mais de 85 por cento das raparigas não vão à escola, diz a agência da ONU, que destaca as províncias do Sul e do centro.

Tempo

Multimédia