Mundo

Queixa do PSD pode atrasar tomada de posse do Governo

O Partido Social-Democrata apresentou uma reclamação ao Tribunal Constitucional na qual contesta os resultados eleitorais e exige uma revisão dos votos dos emigrantes.

O Partido Social-Democrata ocupou a segunda posição
Fotografia: DR

A notícia foi avançada, ontem, pelo jornal “Público” que explica que os sociais-democratas defendem que os votos nulos sejam contabilizados como sendo abstenção.
Segundo a mesma fonte, a Comissão Nacional de Eleições já suspendeu o envio dos resultados finais do sufrágio que deveriam ser publicados em Diário da República. O certo é que a publicação oficial dos resultados encontra-se, assim, suspensa.
Quanto ao Tribunal Constitucional, terá que se pronunciar até segunda-feira.
O jornal “Público” refere ainda que o PSD queixa-se do facto de os boletins de voto não terem sido validados de igual forma por todas as mesas de apuramento de votos, pois algumas consideraram como nulos e outras como abstenção os boletins de voto que chegaram a Portugal sem os respectivos documentos de identificação, como dita a lei. O PSD quer, por isso, que os votos sejam recontados e que os boletins que não respeitem as normas sejam considerados como abstenção e não como votos nulos.
A contagem dos votos dos emigrantes terminou e determinou a atribuição de dois deputados ao PSD e de outros dois ao PS, dos quatro passíveis de serem eleitos.
Esta recontagem dos boletins de voto não irá alterar a atribuição de mandatos, apenas alterará os dados relativos à abstenção e aos votos nulos que, actualmente, é de 89,2 e 22,3 por cento, respectivamente.

Tempo

Multimédia