Mundo

Recordada vida e obra de Aristides Pereira

O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, considerou quinta-feira “fundamental” estimular o interesse pela história e um “imperativo” divulgar o legado de Aristides Pereira, o primeiro Chefe de Estado do país, falecido em 2011.


“A divulgação de figuras como Aristides Pereira e outras e o seu papel na luta que conduziu à independência é um imperativo que deve ser seguido por todos”, considerou Jorge Carlos Fonseca.
O Chefe de Estado cabo-verdiano falava, na cidade da Praia, na abertura de um simpósio internacional para recordar e homenagear Aristides Pereira, primeiro Presidente da República de Cabo Verde, entre 1975 e 1991, que se fosse vivo completaria ontem 95 anos. Segundo Jorge Carlos Fonseca, a divulgação deve ser feita por todos, nas escolas, nas universidades, nas novas gerações, tanto em Cabo Verde como na diáspora, por pessoas singulares, detentores de cargos públicos, entidades colectivas e institucionais.
No seu discurso, numa sala cheia das mais altas personalidades cabo-verdianas, representante de outros países, corpo diplomático, académicos, sociedade civil, Jorge Carlos Fonseca traçou a trajectória política de Aristides Pereira, desde a luta pela independência, juntamente com Amílcar Cabral e outros combatentes, até à construção do Estado, após a independência do país, em 1975. A nível da sua personalidade, Fonseca destacou o equilíbrio, ponderação e carácter moderado, bem como a “capacidade mobilizadora”, durante o exercício das suas funções.

Tempo

Multimédia