Mundo

Ruanda: Tribunal pede investigação por suspeita de corrupção

O Tribunal Intermediário de Gasabo, na cidade de Kigali, ordenou, sexta-feira, o despedimento de quatro altos funcionários do Governo rwandês, entre os quais o secretário permanente do Ministério das Finanças e Planificação Económica, Caleb Rwamuganza, acusados de má gestão dos fundos públicos.

Fotografia: DR

Fontes ligadas ao Governo afirmaram, à AFP, que entre os acusados está também o ex-secretário permanente do Ministério das Infra-estrutura, Christian Rwakunda, colocado em prisão preventiva durante 30 dias, à espera do desenrolar da investigação. Os outros funcionários são Godfrey Kabera, director-geral da Planificação Nacional e Eric Serubibi, do Gabinete da Habitação.

São acusados de desvio de bens públicos, inobservância de procedimentos de concursos públicos e cumplicidade nos procedimentos de concurso público. Detidos estão também Aloys Rusizana, empresário, e Bonaventure Munyabugingo, especialista em avaliação de propriedades privadas. Segundo a acusação, o grupo conspirou para causar a perda de dois mil milhões de francos rwandeses (cerca de dois milhões e 100 mil dólares), numa única transacção, para comprar um prédio a um empresário local.

O procurador declarou que, tendo em conta o valor do concurso, esta transacção devia envolver a Autoridade das Compras Públicas, o que nunca aconteceu.
“Não houve transparência em toda a operação e muitas leis de compras públicas foram desrespeitadas”, disse o procurador, acusando Rwankunda, Serubibi e Rwamuganza de desvio de fundos públicos e de inobservância de procedimentos habituais em matéria de concursos públicos.

Tempo

Multimédia