Mundo

Secretário-geral da OTAN pede trégua

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, pediu, hoje, uma "trégua humanitária nos combates" no Afeganistão, um dos países "muito afectado" pela pandemia do Covid-19.

Fotografia: DR


"Há uma necessidade urgente de uma trégua humanitária nos combates para conter a ameaça imposta ao país pelo novo coronavírus", disse Stoltenberg ao semanário francês "Le Journal du Dimanche (JDD)".
"A violência e a instabilidade ainda reinam no Afeganistão. É uma situação muito difícil, especialmente porque o país agora também está muito afectado pelo novo coronavírus", acrescentou.
O Afeganistão registou, oficialmente na quinta-feira, duas mortes pelo Covid-19, além de 80 casos de contaminação entre afegãos e quatro entre soldados estrangeiros. Mas a realidade poderá ser muito pior neste país, com cerca de 35 milhões de habitantes, com capacidade de Saúde muito limitada após 40 anos de conflito, e sendo um vizinho do Irão, onde a epidemia está em curso há várias semanas.
Dada a urgência da situação, as autoridades afegãs anunciaram a libertação de até 10 mil prisioneiros nos próximos dias para impedir a propagação do vírus.
Desde a assinatura de um acordo com os Estados Unidos em 29 de Fevereiro, com o objectivo de avançar em direcção a um processo de paz, os talibãs intensificaram as ofensivas em todo o país contra as forças de segurança afegãs. Jens Stoltenberg - cuja organização tem 16 mil soldados no Afeganistão - reiterou que o processo de paz seria "longo e difícil".

Tempo

Multimédia