Mundo

Segurança dos EUA impõe regras a voos

O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos da América (EUA) emitiu uma ordem para companhias aéreas internacionais em resposta a pedidos para esclarecer medidas de segurança da aviação civil que começam a ter efeito a partir desta semana.

Aviação com restrições para entrar nos Estados Unidos
Fotografia: STR | AFP

“Esta actualização esclarecedora irá fortalecer a segurança da aviação global e é um testemunho do nosso compromisso compartilhado para aumentar a linha de base”, disse James Gregory, porta-voz da Administração de Segurança de Transportes dos Estados Unidos, que faz parte do Departamento de Segurança Interna.
Uma autoridade de aviação com conhecimento sobre a questão disse que as instruções dão às empresas maior flexibilidade e tempo adicional para obterem equipamentos de detecção de vestígios de explosivos.
As instruções incluem ajustes técnicos, disseram autoridades da agência, mas rejeitaram divulgar o texto. As novas exigências incluem triagens avançadas de passageiros em aeroportos estrangeiros, aumento de protocolos de segurança em torno de aeronaves e em áreas de passageiros e triagem canina expandida.
As exigências afectam 325 mil passageiros de companhias aéreas em cerca de 2 mil voos comerciais chegando diariamente aos EUA, em 180 companhias aéreas de 280 aeroportos em 105 países. Em 28 de Junho, o secretário de Segurança Interna dos EUA, John Kelly, divulgou medidas de segurança estendidas para todos os voos estrangeiros que chegam aos Estados Unidos da América, que autoridades disseram terem sido feitas para terminar com uma proibição limitada de “laptops” em cabines e prevenir a expansão da proibição para outros aeroportos.
Administração de Segurança de Transportes dos Estados Unidos, que faz parte do Departamento de Segurança Interna, cumpre uma série de procedimentos para controlar o fluxo de passageiros e impedir actos terroristas nos EUA.

Tempo

Multimédia