Mundo

Soldados do Ruanda repatriados da RDC

Dois soldados ruandeses que entraram no nordeste da República Democrática do Congo (RDC) no fim-de-semana passado acabam de ser repatriados, disse, em Kigali, o porta-voz do Exército ruandês,  tenente-coronel Innocent Munyengango, à agência de notícias Pana.

Governo congolês combate acções de forças ruandesas
Fotografia: DR

O comunicado das Forças de Defesa Ruandesas (RDF) indica que o incidente ocorreu na zona fronteiriça da aldeia de Karundo, situada na célula de Mbungangali pertencente ao sector de Gisenyi, a quase 10 metros da fronteira entre os dois países.
Munyengango declarou que, a 15 de Abril de 2018 às 20 horas, um oficial militar ruandês e um dos seus homens do 11º Batalhão da Infantaria foram detidos pelos soldados das Forças Armadas Congolesas (FARDC) desdobrados ao longo da fronteira.
Segundo o Exército ruandês, este incidente foi causado pela ausência de limite claro das fronteiras entre o Ruanda e a RDC.
“É um incidente transfronteiriço deplorável, mas frequente, porque repatriámos, várias vezes, soldados das FARDC que passaram casualmente para o nosso lado", declarou o porta-voz do Exército ruandês.
Durante incidentes similares, pelo menos 34 soldados congoleses foram reencaminhados para a RDC entre 2006 e 2018, segundo o comunicado.
Segundo relatórios, as Forças Armadas do Ruanda e da RDC, bem como o Mecanismo Conjunto de Verificação Alargado da Região dos Grandes Lagos, resolveram o incidente de mútuo acordo.
Este repatriamento surge algumas semanas depois de vários soldados congoleses e ruandeses terem trocado tiros durante um outro incidente ao longo da  fronteira, no distrito de Musanze, ao norte do Rwanda, na sequência duma violação do território ruandês em finais de Fevereiro último, disse o porta-voz.

Tempo

Multimédia