Mundo

Sudão do Sul provoca refugiados todos dias

O número de refugiados sul-sudaneses no estado do Nilo Branco, no Sudão, atingiu 150 mil, enquanto vários milhares de outras estão a chegar, anunciaram as Nações Unidas e várias fontes governamentais.

Fotografia: DR


O presidente do Comité de Coordenação Técnica dos Refugiados neste Estado, que partilha fronteiras com o Sudão do Sul, Tayyib Mohamed Abdull, declarou ao Centro Governamental de Imprensa Sudanesa (SMC) que estes refugiados, que fugiram da guerra no seu país, são agora  acolhidos em dois campos na província de Jebelain (leste) e em seis outros campos em Al-Salam (sudoeste), a alguns quilómetros da fronteira comum.
 Segundo Tayyib Mohamed Abdull, estes campos estão cheios e novos campos devem ser instalados para acolher um novo fluxo de refugiados sul-sudaneses. No que diz respeito à presença destes refugiados, Tayyib Mohamed Abdull deplorou o facto de que estes partilham os serviços públicos com a comunidade local, reduzem a vegetação devido ao abate de árvores para acender fogo e poluem o ambiente ao queimar estas árvores.
O Escritório da ONU para a Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA) considera que quase 200 mil novos refugiados sul-sudaneses deverão chegar ao Sudão durante o ano de 2018.
Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), quase 770 mil refugiados sul-sudaneses estavam no Sudão em meados de Janeiro.  Fontes governamentais afirmam que os refugiados são um milhão e 300 mil.

Tempo

Multimédia