Mundo

Teerão promete retaliar pelo arresto do petroleiro

O guia supremo do Irão, o Ayatollah Ali Khamenei, garantiu ontem que o país vai retaliar pela apreensão de um petroleiro iraniano pelas autoridades britânicas em Gibraltar, considerando que se tratou de “um acto de pirataria.”

Fotografia: DR

Num discurso emitido pela televisão iraniana, o Ayatollah assegurou que o arresto do navio não ficará sem resposta, afirmando que a reacção virá quando for oportuna.
“Se Deus quiser, a República Islâmica e os aliados não deixarão esse mal sem uma resposta”, afirmou.
O Irão tem exigido que a Marinha britânica liberte o petroleiro que está arrestado em Gibraltar, território britânico no sul de Espanha, desde o início do mês. O arresto do “Grace I” foi feito com base em suspeitas de violação das sanções europeias sobre transporte de petróleo bruto para a Síria.
Teerão admitiu que o navio transportava petróleo iraniano, mas negou que fosse para a Síria. O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Irão, Abbas Mousavi, disse à agência de notícias Irna que “os pretextos legais para a apreensão não são válidos” e que “a libertação do petroleiro é do interesse de todos os países” envolvidos.
A intercepção do navio, que ocorreu a 4 de Julho, contribuiu para o aumento do clima de tensão na região, enquanto o Executivo de Trump continua a campanha de pressão má-xima sobre o Irão. A Marinha britânica revelou, na quinta-feira, que impediu que três navios paramilitares iranianos interrompessem a passagem de um petroleiro britânico pelo Estreito de Ormuz, a foz estreita do Golfo Pérsico.
O ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Jeremy Hunt, disse no sábado que o Reino Unido facilitará a liberação do navio se o Irão fornecer garantias de que a embarcação não violará as sanções europeias.

Tempo

Multimédia