Mundo

Trabalhadores independentes pedem igualdade e benefícios

Cerca de mil trabalhadores independentes pediram, ontem, em Madrid, os mesmos benefícios que possuem os trabalhadores assalariados, como direito à greve e a redução dos impostos se o salário mínimo interprofissional (SMI) não for atingido.

Fotografia: DR


A manifestação, convocada pela Associação de Independentes Unidos para Agir (AUPA), percorreu o centro de Madrid, do passeio de Recoletos à praça de la Loyalty. Os trabalhadores independentes de todos os sectores (comerciantes, transportadores ou profissionais liberais), mas acima de tudo os agricultores, solicitaram contribuições especiais e progressivas para aqueles trabalhadores independentes cujos benefícios não excedam o SMI. Assim como pedem uma situação análoga para contribuições esporádicas ou de dias e contribuições em tempo parcial, entre outras reivindicações. />Esta associação, definida como independente de sindicatos e partidos políticos, foi fundada em 2018, após a reforma na lei do trabalhador independente de 2017 e tem cerca de 40.000 membros em toda a Espanha.
Gritando "Onde está a minha baixa de trabalho?" ou "Direito ao desemprego real agora!", os manifestantes entoaram outras palavras a favor de contribuições decentes, para reconciliação e igualdade entre os trabalhadores.
Os manifestantes repetiram que não são "heróis", além de expressar que estão fartos de "tantos abusos", que privam este grupo da expectativa de uma reforma digna.

Tempo

Multimédia