Mundo

Tribunal de Haia pede entrega de suspeito

A procuradora do Tribunal Penal Internacional (TPI), Fatou Bensouda, pediu ao Comando Geral das Forças Armadas líbias a entrega do capitão das forças especiais “Saiqa” em Benghazi, Mahmoud al-Warfelli, a fim de executar o mandado de captura emitido contra ele por suspeita de crimes de guerra.

Militar das Forças Armadas líbias acusado de crime de guerra
Fotografia: Stringer | AFP

Numa intervenção durante uma sessão do Conselho de Segurança das Nações Unidas, realizada quarta-feira, em Nova Iorque, Bensouda declarou que o Tribunal vai continuar a investigar sobre os casos e a julgar qualquer pessoa culpada de crimes de guerra na Líbia.
A procuradora do TPI recebeu novas informações que confirmam a implicação de Al-Warfelli em novos actos que possam degenerar em crimes de guerra, e a comunidade internacional é chamada a cooperar para deter as pessoas procuradas que são objecto de mandado de captura. Em meados de Agosto último, o TPI  emitiu um mandado de captura internacional contra o capitão Mahmoud al-Warfelli, pertencente à unidade das forças especiais Saiqa de Benghazi, acusado de ter cometido torturas e homicídios.
“A Câmara Preliminar I do Tribunal Penal Internacional emitiu uma ordem em meados de Agosto para deter Mahmoud al-Warfelli. A Câmara tem motivos razoáveis para acreditar que al-Warfelli cometeu crime contra Humanidade”, declarou o Tribunal, precisando que “se trata de crimes de guerra pela sua presumível implicação directa em sete execuções de 33 pessoas”.
A 21 de Agosto último, o Tribunal pediu formalmente a cooperação da Líbia na detenção de al-Warfelli para ser colocado sob custódia do Tribunal imediatamente, utilizando todos os meios à sua disposição.

Tempo

Multimédia