Mundo

Trump volta a defender separação de famílias

O Presidente norte-americano, Donald Trump, voltou a defender este fim-de-semana a separação de famílias de imigrantes na fronteira com o México, encorajando todos os que “sentem” que vão ser separados a não en-trarem no território.

Presidente dos EUA defende políticas mais duras
Fotografia: DR

“Se sentirem que haverá uma separação, então não venham”, disse Donald Trump à imprensa.
O Presidente voltou a defender duras políticas migratórias e não negou as informações avançadas pelo jornal “The Washington Post”, que afirmou que o Executivo está a preparar novas medidas que implicam, de novo, a separação de famílias na fronteira.
“Estamos a analisar tudo o que é possível no que diz respeito à imigração ilegal”, acrescentou Donald Trump, sem dar mais detalhes.
De acordo com o “The Washington Post”, que cita fontes da Casa Branca, uma das opções do Governo é manter juntas as famílias sob custódia durante os primeiros 20 dias de detenção, o tempo máximo permitido para reter um menor.
Depois desse período, os adultos terão de escolher entre duas opções: Libertar as crianças, separando-se delas, ou mantê-las ‘presas’ consigo.
O antigo Vice-Presidente de Barack Obama, Joe Biden, acusou o actual Chefe de Estado norte-americano, Donald Trump de estar a destruir os valores norte-americanos pela forma como fala das pessoas, como goza com elas e as denigre.
Joe Biden participou num comício democrata no Kentucky, um dos Estados que tem chamado a atenção de analistas políticos e que será disputado por republicanos e democratas.
O jornal “The New York Times” escreveu que os temas focados no discurso de Joe Biden foram pensados não apenas para a disputa partidária que decorrerá em Novembro, mas são também um ensaio sobre os temas de oposição a Donald Trump, que em 2020 procura conseguir um segundo mandato na Casa Branca.

Tempo

Multimédia