Mundo

Turquia quer participar na mediação do conflito

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse estar disposto a ser mediador entre os Estados Unidos e o Irão para aliviar a tensão devido ao programa nuclear.

Chefe de Estado da Turquia
Fotografia: DR

De acordo com o diário pró-governamental, Erdogan discutiu a questão de uma possível mediação com o Primeiro-Ministro japonês, Shinzo Abe, à margem da recente reunião do G20.
Erdogan disse que Abe o questionou sobre a possibilidade de a Turquia e o Japão agirem em conjunto e que lhe respondeu que estaria disposto a reunir-se com líderes iranianos.
O Irão advertiu que, a partir de domingo, aumentará o grau de enriquecimento de urânio além do limite imposto pelo acordo nuclear de 2015 com as grandes potências num contexto de tensão que tem vindo a subir desde que, há um ano, os Estados Unidos abandonaram o pacto unilateralmente e restabeleceram sanções devastadoras para a economia iraniana.
Parceiros na OTAN, a Turquia e os Estados Unidos estão envolvidos numa disputa sobre a compra de material militar à Rússia por parte de Ancara. Washington deu um prazo, até 31 de Julho, à Turquia para renunciar à compra de mísseis anti-aéreos S-400 russos, que os Estados Unidos consideram incompatíveis com os seus aviões F-35, porque poderiam aceder aos seus segredos tecnológicos, tendo ameaçado com sanções.
Mas após um encontro com o Presidente norte-americano, Donald Trump, à margem do G20 no Japão, na semana passada, Erdogan declarou-se convicto de que não haverá sanções.

Tempo

Multimédia