Mundo

UE prolonga sanções económicas à Rússia devido ao conflito na Ucrânia

A União Europeia decidiu prolongar as sanções económicas aplicadas à Rússia por mais seis meses, ao alegar o incumprimento dos compromissos de Moscovo para a obtenção de um acordo de paz na Ucrânia.

Fotografia: DR

As medidas atingem os sectores financeiros, de energia e de defesa da Rússia, e ainda bens que possam ser utilizados para objectivos civis e militares, e incluem-se num leque de sanções aplicadas à Rússia a partir de 2014 na sequência da anexação da península da Crimeia, e relacionadas com o respeito pelo acordo de paz de Minsk de 2015.

"Pelo facto de ainda não ter sido concretizada a sua total implementação, os líderes da UE adoptaram a decisão política de prolongar as sanções económicas contra a Rússia", indica a declaração.

As sanções vão ser aplicadas até 31 de Janeiro de 2021.

A decisão limita o acesso dos bancos e empresas russas aos mercados de capitais da UE e impede a assistência financeira e práticas de intermediação para as instituições financeiras russas.

Bloqueia ainda todas as importações, exportações ou transferência de equipamento de defesa, e limita o acesso da Rússia a alguma tecnologia "sensível" utilizada na indústria do petróleo.

Mais de 14.000 pessoas foram mortas nos combates entre tropas ucranianas e os separatistas pró-russos do leste da Ucrânia.

 

Tempo

Multimédia