Mundo

UE adopta medidas contra sanções ao Irão

A Comissão Europeia adoptou ontem, em Bruxelas, medidas que ajudam a proteger os interesses das empresas da União Europeia (UE) no Irão, face às sanções dos EUA e que visam ainda preservar o acordo nuclear assinado com Teerão.

Bruxelas critica as sanções dos EUA contra o Irão
Fotografia: DR

As novas medidas prevêem que as empresas da UE presentes no Irão possam financiar-se junto do Banco Europeu de Investimento e deverão entrar em vigor o mais tardar no início de Agosto, quando as novas sanções dos EUA contra o Irão começam a ter efeito.
Por outro lado, Bruxelas reiterou o seu compromisso com o acordo de não-proliferação nuclear, que Washington abandonou no passado dia 8 de Maio.
O acordo nuclear foi assinado entre o Irão e o grupo 5+1 (EUA, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha).
À excepção de Washington, os restantes continuam comprometidos com o protocolo.
Quando anunciou a saída dos Estados Unidos, o Presidente norte-americano, Donald Trump, também decidiu restabelecer as sanções económicas a Teerão. />Washington admitiu então que poderiam ocorrer “sanções secundárias”, ou seja, medidas que podem prejudicar as empresas estrangeiras que têm negócios no Irão.
Por outro lado, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, garantiu que a União Europeia (UE) precisa encontrar uma “posição comum” com outros países que se viram afectados pelas recentes tarifas impostas pelos Estados Unidos ao aço e ao alumínio.
Merkel fez essas declarações, durante uma audiência incomum no Bundestag (Câmara dos Deputados) na qual se submeteu, durante uma hora, a perguntas dos deputados e no qual garantiu que a Alemanha vai continuar a defender um comércio internacional aberto e justo, baseado nas regras da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Tempo

Multimédia