Mundo

União Africana recua na tese de

A União Africana apela a uma transição democrática no Zimbabwe, em conformidade com a sua Carta sobre a Democracia e Boa Governação, e qualifica os últimos desenvolvimentos no país como “desacordos no seio do partido no poder e não propriamente um golpe de Estado”.

Num comunicado, a organização anunciou que o presidente sul-africano, Jacob Zuma, iniciou medidas para responder à actual situação política em Harare.
A União Africana, lê-se no documento, está a trabalhar com a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) com vista a chegar a uma resolução da crise. “A UA compreende agora que não se trata de um golpe de Estado. Não aceitamos as mudanças anticonstitucionais de Governo”,  reafirmou.

Tempo

Multimédia