Mundo

Venezuela diz estar preparada para guerra

O presidente da Assembleia Constituinte da Venezuela, composta unicamente por apoiantes do Presidente, Nicolás Maduro, Diosdado Cabello, disse, no fim-de-semana, que o país “está preparado para uma guerra total” com os EUA e que a transição para o socialismo avança.

Parlamentar Diosdado Cabello é o segundo homem mais importante do país
Fotografia: DR

“Há 20 anos que enfrentamos a conspiração e, agora, sanções e bloqueios, mas a Venezuela não se renderá. O imperialismo está descontrolado, dirigido por pessoas que carecem de racionalidade para governar um país”, afirmou.
Diosdado Cabello, que é tido como o segundo homem mais forte da Venezuela, depois de Nicolás Maduro, frisou que a oposição venezuelana “inventou um estatuto de transição” no país, mas o que está em curso é uma mudança para o socialismo.
“A oposição inventou um estatuto de transição, mais aqui há, sim, uma transição em processo, mas é para o socialismo bolivariano, não há outra”, disse.
Segundo Diosdado Cabello, “não há maneira de a revolução se entregar” aos interesses dos EUA”, que a Venezuela resiste, porque sente que o mundo está pendente dela”.
“É provável que os fuzileiros navais dos Estados Unidos entrem no país, mas dizemos-lhes, com humildade, que o problema, para eles, será sair da Venezuela. Estamos preparados para, se eles quiserem, uma guerra absoluta de todo o nosso povo em defesa da nossa pátria”, frisou.
O também vice-presidente do Partido Socialista Unido da Venezuela, o partido do Governo, frisou ainda que anunciava ao mundo que o país não se vai render, “nem entregar ao imperialismo que quer impor decisões”. />“Vamos lutar, resistir e finalmente venceremos”, disse.
Por outro lado, voltou a denunciar que os EUA se apoderaram injustificadamente de dinheiro da Venezuela.
“Os EUA roubaram-nos mais de 25 mil milhões de dólares e mantêm as sancões. O povo é quem está mais sofrer com estas acções realizadas com a colaboração da oposição venezuelana”, disse.

Moscovo apoia negociações

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, reafirmou o apoio da Rússia às negociações que o Governo venezuelano e a oposição mantêm sob a mediação da Noruega, como um mecanismo para solucionar a crise na Venezuela.
Segundo Sergey Lavrov, os venezuelanos devem ter a opção de resolver a questão política.
“Precisamos de confiar nas leis internacionais e no apoio aos venezuelanos para que cheguem a uma solução para os seus problemas, sem interferência externa e sempre dentro da Constituição”, disse.
Sergey Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, no Rio de Janeiro, Brasil, à margem de uma reunião de países dos BRICS (Brasil, Índia, China e África do Sul).
“Temos reafirmado a nossa posição de apoio ao processo em Oslo. Um processo iniciado com o apoio da Noruega, entre a oposição e o Governo de (Nicolás) Maduro”, disse.

Tempo

Multimédia