Mundo

Zona de Comércio Livre cada vez mais próxima

A União Africana (UA) anunciou através de um comunicado progressos nas negociações para criar  uma zona de comércio livre com um mercado de 1.500 milhões de pessoas e uma riqueza total de dois mil e 190 milhões de dólares.

Africanos estão empenhados em acelerar o comércio entre si
Fotografia: Edições Novembro

As negociações desembocaram num novo roteiro relativo a um acordo sobre o texto jurídico a adoptar em Dezembro, lê-se no documento, no qual é anunciado que o grupo de negociadores e peritos em comércio dos Estados-membros esteve reunido de 2 a 7 de Outubro de 2017, em Addis Abeba, capital da Etiópia, para discutir sobre o calendário de conclusão de um acordo.
Os peritos participaram na sétima reunião do Fórum de Negociações da Zona de Comércio Livre Continental (ZLEC), onde foi estabelecido um roteiro para a criação da zona comercial continental e “os participantes fizeram progressos substanciais, aceitando aderir à data limite de Dezembro de 2017 para completar o projecto de texto jurídico, tal como foi pedido pelos Chefes de Estado e de Governo africanos”.
Os peritos alcançaram um acordo sobre o nome e o conteúdo do texto jurídico que deve conduzir à criação da zona comercial.
O documento é denominado “Acordo que cria a Zona de Comércio Livre Continental”. Um protocolo sobre o comércio dos serviços e outro distinto sobre o comércio das mercadorias foram concluídos no quadro das negociações para a criação de uma zona de comércio livre.
“A criação da ZLEC é o primeiro projecto essencial da Agenda 2063 a ser concluído no quadro do roteiro estabelecido pelo Plano de Aplicação da Agenda 2063 de dez anos”, lê-se na nota da União Africana.
Na próxima reunião, prevista para entre 6 de Novembro e 1 de Dezembro, os negociadores vão dar prioridade à finalização do projecto e examinar as questões suspensas no acordo. 

Tempo

Multimédia