Opinião

Aposta na seriedade

Anaximandro Magalhães

Há factos que se produzem sem haver um profissional que os testemunhe directamente: desde importantes reuniões à porta fechada até à descoberta de rombos financeiros ou o descarrilamento de um comboio.

Assim, os jornalistas acedem às fontes de informação. Estas são pessoas, instituições e organismos de todo o tipo que facilitam a informação de que os meios de comunicação social necessitam para elaborar notícias.
Com base nestes pressupostos, o Jornal de Angola procurou, no dia 14 do corrente, apurar junto do Secretário - geral da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Nelson Sardinha “Futuro”, quais eram os motivos da ausência do extremo Olímpio Cipriano, 1,93 metros, 36 anos, que passados três dias do arranque das sessões de treino não trabalhava com os restantes companheiros, em preparação para a disputa de 30 do corrente a 2 de Dezembro, em Luanda, da quinta e última janela do Torneio Africano de Qualificação para o Campeonato do Mundo, China´2019.
A (re)integração de Cipriano, isso dito pelo administrativo da FAB, estava afastada por este ter dado conta da sua indisponibilidade sem ter evocado, segundo Sardinha, as razões para o fazer.
Na altura, o responsável explicou e lamentou o sucedido: “o procedimento é enviarmos a comunicação para os clubes e estes dão-nos conta da disponibilidade ou impossibilidade dos atletas representarem a selecção, neste caso em particular o Petro não o fez, pelo facto de nenhum dos jogadores seleccionados estar impossibilitado. Portanto, o atleta dispunha de condições para estar connosco”. Prosseguindo, o dirigente disse: “infelizmente ele diz estar indisponível. Estamos a tratar do assunto com o clube”.
Sábado, no Pavilhão Gimnodesportivo da Cidadela passou-se a mensagem, isso em função de na quinta-feira Olímpio ter integrado o treino, de que o Jornal de Angola e o seu jornalista, autor do texto intitulado “Cipriano está indisponível para a Selecção Nacional”, deram à estampa uma notícia irresponsável e falsa, o que não é verdade.
Este órgão tem por princípio averiguar, confrontar e promover o contraditório, embora este último requisito nem sempre seja fácil. Ainda assim, atemo-nos a factos.Cipriano terá, em antecipação, alegado problemas pessoais, solicitando dispensa junto do seleccionador nacional, William Bryant Voigt. Portanto, este diário não tem culpa de a fonte ter dado informação errada, lesando com isso os leitores..
 Aliás, já há algum tempo que  a informação proveniente daquela Federação continua a ser passada de forma ruidosa, promovendo como de costume a desinformação. Este órgão é sério e não tem por hábito produzir factos nem tão pouco publicar falsas notícias. Haja por parte do responsável da FAB coerência no momento de assumir a responsabilidade, não a sacuda para o lado. Os homens erram e quando o fazem devem justificar a inicial da letra H em honra ao seu género. Bem haja o jornalismo responsável.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia