Opinião

Cabo dos desleixos

Luciano Rocha

O Distrito Urbano de Cabolombo, Belas, é mais um exemplo do desleixo instalado em Luanda nos mais diversos sectores e aos mais variados níveis, como comprova a reportagem publicada, há dois dias, neste jornal.

Algumas das fotos incluídas naquele trabalho dispensa-vam, por si só, descrições, de-poimentos, lamentos, justificações, quaisquer palavras. Ali, naquele pedaço da “Luanda moderna” está concentrado praticamente tudo o que mau abunda na província, onde cada vez menos apetece viver.

A ideia era bem bonita na maqueta, nos desejos dos arquitectos transpostos para desenhos, certamente nas brochuras atraentes para comprador ver, mas... há sempre um seguido de reticências a aconselhar prudência, nem sempre tida em conta pelas pessoas de bem, quando lhes sai em rifa “lobo vestido de cordeiro” a “vender gato por lebre”. Soubessem os actuais moradores o que lhes estava destinado e não tinham investido onde não deviam, a pensarem, entre outras “regalias”, terem-se livrado do amontoado de problemas da “outra Luanda” aos quais, ao menos, já estavam habituados.
Perante aquele “oceano de incongruências” pergunta-se, entre outras coisas: foram feitos estudos dos solos nos quais se desatou construir casas destinadas a seres humanos, artérias para eles circularem? Foi tido em conta que saneamento básico, água canalizada, electricidade, escolas, unidades de saúde, segurança não são luxos? Uma vez mais a culpa morre solteira?

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia