Opinião

Estados Unidos e Angola contra a malária

Nina Maria Fite | *

No Dia Mundial da Malária, os Estados Unidos têm orgulho em reconhecer a parceria com Angola e apoiar os seus esforços para vencer esta doença mortal. Saudamos os campeões da saúde de Angola - de profissionais de saúde a mães, farmacéuticos, aos motoristas, jornalistas, aos pesquisadores, professores, aos gestores de armazéns - todos que trabalham para acabar com a malária.

Como uma comunidade global, alcançamos um sucesso notável. Juntos, reduzimos a mortalidade por malária pela metade na África subsaariana, salvando mais de 7.000.000 de vidas desde 2000. Ao comemorarmos o Dia Mundial da Malária em 25 de Abril, celebramos esse sucesso. Como principal doador mundial em saúde global, os Estados Unidos estão comprometidos em trabalhar com os nossos parceiros para intensificar os esforços para acabar com a malária de uma vez por todas.
Reconhecemos que lutar contra a malária é um investimento inteligente para proteger a saúde, criar oportunidades e promover o crescimento e a segurança em todo o mundo, incluindo em Angola. Também sabemos que combater a malária, juntos, nos torna mais eficazes e atinge maior impacto do que qualquer um de nós poderia fazer sozinho.
Os países estão melhor posicionados para combater a malária quando estão envolvidos em parcerias fortes e de apoio mútuo. A parceria dos EUA, incluindo compromissos técnicos e financeiros por meio da Iniciativa do Presidente dos EUA contra a Malária (PMI) , bem como a contribuição dos EUA para o Fundo Global de Combate ao Sida, Tuberculose e Malária, continua a ser o marco do contínuo progresso global.
Os Estados Unidos continuam a fornecer especialistas, médicos e cientistas para treinar e auxiliar os profissionais de saúde pública em Angola. De facto, desde 2005, os Estados Unidos investiram USD 300 milhões em Angola para combater a malária.
Somente em 2018, os Estados Unidos investiram USD 22 milhões adicionais para ajudar Angola nos seus esforços para combater a malária, além de que distribuímos 4.000.000 de mosquiteiros tratados com insecticida para ajudar a reduzir a transmissão da malária.
Os programas transformadores da PMI fortaleceram a liderança de Angola, ajudaram a ampliar os recursos nacionais e melhoraram os sistemas projectados para proporcionar intervenções que salvam vidas. A PMI capacita todas as pessoas, todas as comunidades e todos os países a combater a malária como um parceiro igual, valioso e essencial.
O tema do Dia Mundial da Malária deste ano - Zero Malária Começa Comigo - reconhece o papel que podemos - e devemos - desempenhar para o fim da malária. Então, hoje nós apelamos a todos - governos nacionais, doadores, comunidades, famílias, líderes religiosos, empresários, empresas e muitos outros - para combater essa doença mortal ao nosso lado.
Trabalhando juntos, podemos enfrentar os desafios e superar as dificuldades. Podemos compartilhar pesquisas, melhores práticas e dados para estarmos à frente.
Podemos receber novos produtos, agentes e processos para avançar a nossa luta. O objectivo último é erradicar completamente a malária da face da terra até 2050, e continuaremos a trabalhar com o povo e o Governo de Angola visando contribuir para o alcance dessa meta.
Neste Dia Mundial da Malária, tenho orgulho de reafirmar o compromisso dos Estados Unidos de continuar esse progresso global e acabar com a malária em Angola. Na verdade, Zero Malária começa comigo, consigo e com todos trabalhando juntos para um futuro mais próspero e saudável para todos.

* Embaixadora dos EUA em Angola

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia