Opinião

Exames médicos

Luciano Rocha

O rigor exigido na admissão de polícias deve estender-se a toda a carreira, com exames médicos periódicos, para poderem ver o que o comum do luandense vê e não estarem tantos deles de costas para as transgressões.

Aqueles exames têm de incluir, obrigatoriamente, por motivos óbvios, testes oftalmológicos, à coluna vertebral e ao pescoço. Para os incumbidos de zelar pela ordem pública, inclusivamente graduados, verem o que qualquer luandense vê e a muitos deles passa ao lado. Sem se poderem mexer, coitados, devido a torcicolos e lesões permanentes na espinha dorsal. Que não matam como o paludismo, é verdade, mas causam danos gravosos à população, no geral. Devido a torcicolos, lesões na coluna e falta de vista de muitos polícias, a impunidade e o sentimento que a move continuam em roda livre a transportar negócios duvidosos. À base de uma série de produtos, vindos ilegalmente do estrangeiro e dinheiro posto por trafulhas nos regaços de kinguilas. A maioria dos angolanos, inclusive os que vivem na província, na qual se situa a capital, deseja a diversificação da economia, como forma de sermos menos dependentes. Mas... há regras.
Também, a bem da segurança pública, era bem-vinda a realização de testes de alcoolemia e para detecção de outras substâncias que alteram comportamentos. Ganhávamos todos com isso.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia