Opinião

Falta de comunicabilidade

Amândio Clemente

A Federação Angolana de Futebol (FAF), que já nos tinha habituado a uma forma de comunicar exemplar, parece ter dado passos atrás neste quesito, principalmente, quando se trata de anunciar as listas dos jogadores convocados para a Selecção Nacional de Honras.

Ao contrário do que estávamos habituados até há bem pouco tempo, o elenco dirigido por Artur Almeida e Silva prefere comunicar de forma diferente do costumeiro, nestas circunstâncias, quando ao invés de chamar a imprensa para apresentar os jogadores convocados, para depois o seleccionador nacional explicar as razões das suas escolhas, opta por colocar apenas a lista na sua página oficial e enviá-la para o canal desportivo da Rádio Nacional de Angola (RNA), sem no entanto ter o mesmo gesto para com os outros órgãos de comunicação social.
Apesar das tecnologias de informação nos permitirem saber quem é quem, no caso dos novatos chamados do estrangeiro, para os profissionais da imprensa é também importante saber as motivações do treinador em chamar este ou aquele jogador, e explicar também as causas das ausências de outros da lista.
Aliás, é neste encontro com os jornalistas que teríamos a possibilidade de saber da programação da preparação da Selecção Nacional, os adversários para os jogos amistosos, local e duração do estágio, a existência ou não dos valores necessários para uma preparação condigna capaz de proporcionar uma boa prestação na competição, entre outras questões que o público amante do futebol gostaria, certamente, de conhecer.
Por essa razão, achamos que a direcção da FAF ainda vai a tempo de chamar a comunicação social para explicar em que pé estão as condições para o arranque e o decorrer da preparação para a Taça de África das Nações, que a terra dos faraós vai acolher brevemente.
Mas, a FAF , que vem dando sinais de algum desacerto administrativo, mais uma vez muda radicalmente de prática na forma de interagir com a comunicação social. Depois da pouca vergonha ocorrida na cerimónia, se é que se pode chamar aquilo por este nome, de entrega do troféu ao campeão nacional, esperamos que amanhã, no final do jogo da Taça de Angola, o elenco federativo capriche e se redima da "palhaçada" de domingo, limpando assim a imagem da instituição e de quem a lidera.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia