Opinião

Mal nos quer Sérgio Raimundo

Santos Vilola

Não é a primeira nem a segunda, seguramente não será a última vez, que o advogado Sérgio Raimundo, que um dia se serviu das páginas do Jornal de Angola para publicar suas “teses” jurídicas sobre um processo judicial que corria em Portugal, ataca de forma absurda este diário.

Deficitário em argumentos técnicos perante o tribunal para contrapor a pesada acusação contra o seu constituinte, o penalista olha sempre para o Jornal de Angola, em pleno tribunal, como o culpado dos crimes pelos quais são acusados os arguidos que ele defende.
Enoja, e o juiz da causa até chegou a dizer ontem “hufff, temos de ouvir tudo...”, quando Sérgio Raimundo atacava o Jornal de Angola em plena fase de leitura dos quesitos por causa de artigos e notícias que fazemos em nome do interesse público.
Essa ingratidão - não que queiramos que nos eleve à posição de arautos das liberdades absolutas, porque o Jornal de Angola tem mais de 90 anos de existência - não tem qualificação e coloca o “advogado do Diabo” em posição frágil diante da falta de argumentos. O comentário na sessão anterior foi contra o MPLA, defendendo a sua extinção. Populista!
O melhor que o advogado tem de fazer é concentrar-se no processo. O Jornal de Angola tem o seu foco nos leitores, respeitando, claro, as liberdades e garantias do cidadão.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia