Opinião

Maus exemplos

Luciano Rocha

Os maus exemplos continuam à solta na província de Luanda - em muitas das outras também, mas este Periscópio centra a lente naquela onde está a capital -, de braço dado com o sentimento de impunidade.

Os maus exemplos são isso mesmo, atitudes reprováveis, das quais os adultos conscientes se devem servir para mostrar às crianças - obrigadas a vê-los a todo o instante - o que jamais devem fazer.
Eu tive a preocupação de salientar “adultos conscientes”. Porque, cada vez mais, se vêem maus exemplos dados por quem é maior de idade. Pior ainda, com cargos que deviam fazer deles modelos de civismo.
Os exemplos que podia mencionar são tantos que me escuso a fazê-lo, até porque o cidadão comum sabe-os de cor e salteado tão bem como eu. Limito-me a lembrar apenas dois, ambos sobre uso e abuso de espaço público. Um, o estacionamento ilegal de viaturas porque, por exemplo, a pessoa que se faz transportar nela resolve ir ao barbeiro, ao banco ou o que lhe der na real gana. O outro, os geradores - alguns do tamanho do cubículo de alguns ruandeses - colocados em passeios, como se estes fossem quintais dos prevaricadores.
Ora bem, nem que fosse o mais incógnito dos luandenses a cometer aquelas infracções já era grave. Então, e se for gente com cargos de responsabilidade no Estado e em empresas públicas!?

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia