Opinião

Resgatar a operação

Luciano Rocha

Luanda, que é capital do país, embora possa não parecer, continua a es-tar enxameada de “intocáveis” ou, melhor, dos que julgam ser, mas que, um dia destes acordam desenganados.

A impunidade, reflectida no “quero, posso, mando”, mostra-se arrogante em cada canto desta nossa cidade, cada vez mais maltratada. Principalmente por alguns dos que são pagos para cuidar dela e fazem exactamente o contrário.

A “Operação Resgate” pode estar a ser um êxito algures em Angola, mas em Luanda, não. É fracasso absoluto à vista do cidadão comum. Com a conivência de responsáveis distritais, municipais, provinciais de vários sectores. A Baixa da cidade é cada vez mais o exemplo do incentivo ao desrespeito, à falta de senso. A única coisa que nela parece funcionar or-ganizadamente é a desorganização. De que são exemplo, os passeios que deixaram de ser para os peões e se transformaram em montras de mercadoria diversa: sapatos, relógios, roupas, artigos de livraria, pastelaria e farmacêuticos, tráfico ile-
gal de divisas. Enfim, tudo o que a imaginação pode e agentes da ordem, ou fardados como tal, fingem não ver.
O que obriga a quem anda a pé a ter de caminhar no espaço destinado aos carros.
Em suma, em Luanda, esta operação “Operação Resgate” tem de ser resgatada. E rapidamente.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia