Opinião

Soluções fáceis

Luciano Rocha

Luanda, neste novo ano que agora começou, parece a continuação do que o antecedeu, naquilo que, infelizmente, a caracteriza e não devia ter sucedido nunca.

Eu sei que tem um novo governador, empossado há meia dúzia de dias, a quem não podem ser assacadas responsabilidades. Por estar ainda na fase de perceber em que trabalhos se meteu ao aceitar cargo honroso que lhe foi entregue. Mas, também estou consciente, como qualquer luandense, que há problemas que não necessitam de grande meditação, estudos, consultas, para serem resolvidos. Basta bom senso, igual dose de vontade, determinação.
Entre o rol de disparates que enxameiam Luanda e podem desaparecer, num “abrir e fechar de olhos”, desde que quem possa, queira, contam-se os postes de iluminação pública acesos dia e noite. A par dos que, há meses, permanecem apagados. A que se juntam os caídos por terra, vítimas, provavelmente, de colisões de automóveis. Mas, igualmente, da incúria de quem tem obrigação de os substituir. Ou, uma vez mais, do “jogo do empurra”. Tal como sucede com as árvores caídas ou em vias disso, dos passeios feitos bancas de traficantes ilegais de dinheiro, num desafio à ordem pública.  Estes são apenas exemplos dos muitos problemas de Luanda que podem devem ser resolvidos já.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia