Opinião

Apelo do Papa

Há dias, creio que em véspera da quadra festiva, ouvi o papa Francisco a apelar aos valores da sã convivência, paz, amor, fraternidade num mundo cada vez mais instável.

Julgo que o apelo do Papa faz todo o sentido numa altura em que os povos na península coreana vivem sob uma espécie da iminência da queda não da espada de Dâmocles, mas da "espada nuclear". No Médio Oriente, árabes e judeus convivem há milénios mas sem entendimento, sobretudo, nas últimas décadas, enquanto que noutras partes do mundo os povos convivem com a fome, grandes endemias. O mundo não está bem e mais de 50 anos depois das célebres palavras do Presidente John Fitzgerald Kennedy segundo as quais o mundo continua inseguro, o tempo o tem dado razão. As Nações Unidas encaradas como a última esperança na busca da paz e segurança para os povos parece cada vez mais confrontada com dificuldades de natureza social, económica e cultural dos povos. Termino reforçando a necessidade de se reforçar o apelo do Papa Francisco, uma voz autorizada e autoridade exemplar no que à moralidade e fé dizem respeito.

Filipe de Castro, Benfica

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia