Opinião

Cães e gatos vadios nas ruas

Vivo em Viana e escrevo para este espaço do Jornal de Angola para informar que em todos os bairros da cidade de Luanda multiplicam-se os cães e os gatos.

Trata-se de cães e gatos à procura de restos de comida. Vejo que esses animais foram abandonados pelos donos, por falta de condições para lhes dar os devidos cuidados.
Há um número elevado de animais na rua sem qualquer controlo sanitário. Há dias, recebi uma informação de um amigo que foi mordido por um cão vadio e morreu no mês em curso.
Os animais com raiva podem causar muitas mortes na cidade de Luanda. Penso que é um problema de saúde pública. Os animais que deambulam pelas ruas, abandonados pelos donos ou nasceram em ambiente natural, podem não ter recebido vacinas contra a raiva.
Alerto para esta situação, para que as autoridades competentes tomem medidas para se recolherem os cães e os gatos que deambulam pelas ruas dos bairros da cidade de Luanda, visto que representam um perigo para as pessoas.
Qualquer pessoa, especialmente as crianças, pode correr o risco de ser mordida por esses cães, como aconteceu com um professor que foi mordido por um cão vadio e que depois morreu. Os animais sem donos são ferozes quando estão esfomeados ou contraíram a raiva, uma doença que causa morte se não for tratada em tempo oportuno.
Domingos Mavuwa  | Viana

 

Pagamento de energia
Vivo no Zango II e quero informar sobre o atendimento e comportamento dos funcionários da ENDE no Zango I. Este mês de Maio fiz um carregamento electrónico de luz, no valor de dois mil kwanzas num multi-caixa situado na Mutamba. Quando cheguei a casa, digitei muitas vezes, mas o sistema não dava certo.
No dia 14 do mês em curso, fui ao posto da ENDE do Zango I e fiz a reclamação. A senhora que estava no balcão a atender disse-me: “Vocês gostam muito de fazer carregamento nos multicaixas, sem ler o que está escrito. Porque é que não vêm ao nosso posto fazer carregamento?”.
Mas disseram-me que os técnicos iriam à minha casa para rever a situação do sistema, mas os homens da ENDE não apareceram. Fiquei uma semana sem energia eléctrica. O meu caso não foi o único, havia muitas reclamações do género. Todos os meses faço carregamentos no multicaixa, mas nunca houve bloqueio no sistema.
Pergunto aos meus botões a razão do bloqueio do sistema pré-pago. Penso que os funcionários da ENDE devem atender bem os consumidores. Os consumidores que pagam a energia devem ser bem tratados. Não estão a pedir nada de graça.
Graças André  | Zango II

 

Água no Futungo II
Moro no bairro Futungo II e esta minha carta visa reclamar pelo facto de a água não correr regularmente nas torneiras, apesar do trabalho feito, há mais de quatro anos, de instalação da canalização e dos contadores por uma equipa de técnicos chineses e angolanos.
A água pode jorrar da torneira durante dois a três dias e depois ficamos dois a três meses ou até mesmo mais tempo para voltar a tê-la.
Os contadores estão lá mas os serviços da EPAL não funcionam, aliás, não existem na comuna. Não sei o que impede, num bairro que até não oferece problemas de maior, a EPAL de desempenhar o seu papel como deve ser. É hora de pôr ordem no circo!
Faustino Miguel | Futungo II

 

 

 

 

 

 



Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia