Opinião

Cartas do Leitor

Energia Eléctrica na Vila Flor 
Escrevo esta carta com muita satisfação, pelo facto de há algum tempo a esta parte que não se verifica no bairro Vila Flor no município do Cazenga,  cortes no fornecimento de energia eléctrica. Temos de louvar e reconhecer os esforços empreendidos pela Empresa Nacional de Distribuição de Energia. Os alunos que estudam no período nocturno andam à vontade e a criminalidade diminuiu drasticamente.
Acho que não basta criticar, é preciso elogiar o bom trabalho e neste caso a Ende está de parabéns. Agora é necessário que a EPAL faça o mesmo, porque os cortes no fornecimento de água são constantes. Muitas vezes as donas de casas são forçadas a andar vários quilómetros a pé à procura do precioso líquido. Outras vezes recorrem aos camiões cisternas para abastecer os tanques instalados  nos quintais. E como devem imaginar, a água abastecida por camiões cisternas não é aconselhável para o consumo humano, por razões óbvias. Gostaria que a EPAL levasse à peito  a questão do fornecimento de água ao bairro Vila Flor.
Leopoldo André | Vila Flor

Pedonais
A situação que constatamos todos os dias na estrada principal do bairro da Fubu,  que dá acesso ao Calemba II,  chega a ser intrigante. Nesta via existem duas pedonais, mas, como acontece um pouco por toda a cidade de Luanda, os peões ignoram pura e simplesmente estas infra-estruturas e preferem fazer a  travessia no asfalto colocando em risco a sua própria segurança.
A Polícia Nacional devia ser mais actuante, acção que devia ser antecedida  de uma campanha de sensibilização. Não faz sentido que o Estado tenha gasto tanto dinheiro com a instalação de pedonais, para prevenir situações desagradáveis, e os peões  não as utilizam.
Ana António | Fubu


Buraco no Kilamba
Escrevo para o Jornal de Angola para manifestar a minha insatisfação pelo buraco que existe há mais de um mês na rua que dá acesso à Unidade dos Bombeiros, no Kilamba. No local havia antes vazamento de água na sequência do rebentamento de um tubo, o que já criava constrangimentos. Meses depois, alguém decidiu fazer trabalhos de manutenção, mas desde que foi aberto o buraco em plena faixa de rodagem ninguém se preocupa em tapá-lo.
O mais grave é que o buraco encontra-se numa zona em que  à noite  não tem iluminação e não é difícil imaginar o que pode acontecer amanhã se não for tapado imediatamente.
Alves Domingos | Kilamba


Mobilidade
Tem se constado um índice elevado de zungueiras e ambulantes a circularem na baixa de Luanda, em particular, na Mutamba, vendendo artigos em locais impróprios.Os ambulantes têm criado  transtornos aos moradores, que vêm no dia-a dia os edificios invadidos pelas zungueiras, sobretudo, por quantidades de resíduos sólidos que ficam nos passeios dos prédios.Outra presença notável é de  indivíduos lotadores de táxi, que interferem na via principal do entrosamento entre a Rua Rainha Ginga e Amílcar Cabral, arredores do Jornal de Angola e do Centro de Imprensa Aníbal de Melo. Penso que o governo local deve reforçar os serviços de fiscalização.
Garcia José | Benfica





Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia