Opinião

Cartas dos Leitores

1º de Agosto 
A passagem para as meias finais da taça africana dos clubes campeões por parte do 1 º de Agosto constitui um dos mais importantes acontecimentos desportivos neste segundo semestre do ano corrente. Está de parabéns esta importante equipa de futebol, que foi à cidade de Lubumbashi, capital da província do Haut-Katanga, na República Democrática do Congo (RDC), empatar a uma bola frente ao Tout Puissant Mazembe, ou seja, diante do "Todo Poderoso Mazembe". Hoje, essa realidade mudou completamente e, grande parte das partidas, resolve-se em casa. Mas o "Pri" foi abençoado pelos deuses do desporto, no caso o do futebol em particular, pela forma como de cabeça erguida jogou de igual para igual em Lubumbashi. Espero que a nossa equipa, porque nesta altura não se coloca a maka do "clubismo", venha chegar até à final e ganhar pela primeira vez.
Anastácio Mendes - Huambo     


Época balnear
Sou apreciadora de banhos de água e de sol nas praias de Luanda e escrevo pela primeira vez para o Jornal de Angola para falar sobre a época que se abre pela frente. Fiquei preocupada com as informações segundo as quais durante os últimos oito anos, um total de 3.670 cidadãos, entre crianças, adolescentes e adultos, morreu  nas praias, lagoas e rios do país, vítimas de afogamento. Essa informação foi avançada há dias pelo secretário de Estado do Interior, durante a abertura da época balnear 2018/2019, que teve lugar na Ilha de Luanda. Esses últimos devem continuar a envidar os esforços que fazem na sensibilização e educação da população que se faz ao mar, deve assinalar os postos ou locais apropriados e seguros para o banho, bem como manter uma presença regular dos seus efectivos. O uso de material que identifica os locais de perigo deve ser uma prioridade, bem como a colocação em locais amplamente visíveis. Às populações  cabe o cumprimento das disposições e instruções para a sua segurança.
Maria de Carvalho - Samba


Intervenção Urgente
Sou morador do Distrito Urbano da Maianga, bairro do Cassenda, rua Unidade e Vizinhança, escrevo pela primeira vez para o Jornal de Angola para expor e requerer o seguinte: sou encarregado de educação de dois filhos menores de idade que frequentam o ensino primário no Colégio Wilson Macedo, sito na Rua 2, Casa nº 5, Bairro Cassenda. A minha preocupação prende-se pelo facto de ter presenciado uma criança que se dirigia ao Colégio acima citado quase atropelada por um taxista pelo facto de haver um Bar denominado “Bar de Rua”, localizado na Rua do Prédio dos Morreus, que ocupou completamente o passeio originando a passagem das pessoas na estrada, com sérios riscos de atropelamentos, sendo que o passeio está cercado com o sobredito Bar. É de lamentar a atitude da Administração Distrital da Maianga no Bairro Cassenda em permitir que a referida construção fosse erguida uma vez que os passeios foram feitos para os peões e as estradas para os veículos em circulação, conforme a Lei e o Regulamento do Ordenamento Urbano. Agradecia Exmo. Senhor Administrador que enviasse uma equipa para constatar “in loco” e proceder em conformidade com as normas da Administração Pública. A localização do Bar fica exactamente depois do famoso "Prédio dos Morreus" na esquina em direcção ao Colégio Wilson Macedo, KFC, Hotel Fiesta e à DSTV. Na esperança de que o assunto merecerá a vossa atenção e resolução subscrevo com melhores cumprimentos.
João Neto - Cassenda

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia