Opinião

Cartas dos Leitores

O turismo e os preços 

Gostava que houvesse mais angolanos  com empresas  no sector dos serviços, que é uma área, quanto a mim,  que  garante   maximização de lucros.  Sei que  muitos angolanos não têm a possibilidade de  pôr empresas a funcionar no sector de serviços  por falta de financiamento, não estando os bancos muitas vezes com  níveis para conceder crédito ou   fazem empréstimos com juros muito altos. Pretende-se revitalizar  o turismo no país, mas penso que sem um sector de serviços  diversificado e sólido  dificilmente  se poderá relançar  a actividade  turística.  Acho que devem ser os privados a dar sustentabilidade à economia  do turismo. 

É necessário que se veja também  a questão dos preços que são praticados  no sector  da restauração e da hotelaria. Os elevados preços que são praticados  nesse sector  não  atraem turistas. Temos praias quentes, mas  os preços   praticados pelos nossos restaurantes e hotéis são demasiado altos.  

Por vezes me pergunto, por que razão  os preços dos nossos serviços de restauração e  hotelaria são  muitos  elevados. Que custos  é que esses serviços têm para  praticarem preços  que não são suportáveis  por turistas angolanos e estrangeiros.

Armanda  Bento, Quiçama 


A Justiça 

Tenho ouvido  falar  que a Justiça é  um dos principais pilares do Estado de Direito. Mas parece  que ainda não se está a dar muita importância à criação de condições para que os órgãos que concorrem para  a boa administração da Justiça possam trabalhar bem. Uma juíza disse recentemente na Huíla que há órgãos da Justiça que trabalham em más condições.  

É urgente que se dê  condições dignas de trabalho àqueles que  contribuem para a boa administração da Justiça. 

A Justiça é  dos sectores mais importantes em qualquer sociedade. Agora que se pretende que as instituições do Estado funcionem bem, no interesse dos cidadãos,  importa que os órgãos  da administração  da Justiça tenham recursos  suficientes para  fazerem o seu trabalho. 

 Uma boa administração da Justiça  contribui também para  a  paz  social.

Firmino  João, Maculusso 

 

 A taxa da água 

Sou da opinião  de que, salvo melhor entendimento, a taxa da água que se cobra em Angola  é demasiado elevada, se tivermos em conta o rendimento da maioria  das famílias angolanas. A água é um bem   fundamental. Sem água  as pessoas  estão sujeitas  a   contrair doenças.  Penso que faz  sentido que se reveja  a  taxa que é actualmente praticada  no país.  

Há famílias muito pobres que não têm dinheiro para comprar água  potável todos os dias. Há  mesmo angolanos que vão  a lagoas  em busca de água, com todos os riscos  que isso implica. Sugiro que as autoridades se debrucem sobre  este  assunto. 

A água que o Estado  fornece aos consumidores está muito cara.  Os salários em Angola  são baixos.  Há famílias  com rendimento mensal de apenas 50 mil  kwanzas e têm de pagar a água, a energia, o lixo, o transporte privado, não restando quase  nada  para  outras despesas.

Não entendo  nada de economia, mas penso que quando se  decide fixar taxas , deve-se  levar em conta  os rendimentos das famílias. Em Angola há famílias , e não são poucas, que estão na pobreza extrema.  Todos os angolanos devem ter  acesso à água. A água é um produto básico. Sou da  opinião de que o Estado tudo  deve fazer para  todos os angolanos, independentemente  da sua condição económica, possa desfrutar  de água.  

Tenho esperança de que  o nosso Governo venha  a  rever  o montante da taxa  da água, para bem de muitos milhares de angolanos.      

Apolinário  Francisco, Samba 

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia