Opinião

Conservatórias

Vi recentemente uma reportagem num canal de televisão angolano que me deixou indignado. A reportagem mostrou imagens de uma casa de banho completamente degradada de uma Conservatória de Registo Civil,onde se celebram casamentos e outros actos .

Uma Conservatória de Registo Civil deve ser um lugar em que deve haver condições dignas de trabalho e para receber pessoas. Não posso acreditar que não haja dinheiro neste país para reparar uma casa de banho de uma Conservatória. Gostava que alguém visitasse, já agora, todas as conservatórias existentes no país para se saber se os seus trabalhadores trabalham em condições apropriadas. É preciso tratar bem as pessoas. O Estado, por ser o Estado, está em condições de resolver problemas simples. Se o Estado pode mandar fazer aeroportos, pontes, estradas e outras infra-estruturas que custam muito dinheiro, não consegue reabilitar casas de banco de conservatórias? O que é que está a faltar? Não há dinheiro ou as pessoas que trabalham em conservatórias não informam as entidades competentes para se resolverem os problemas?
Hermínia João|Samba


Desperdício de alimentos
Soube que muitas superfícies comerciais e restaurantes colocam no contentor de lixo, no final do dia produtos que ainda podem ser consumidos. Penso que esses restaurantes e superfícies comerciais deviam, por exemplo, entrar em acordo com instituições de caridade, para estas receberem esses alimentos e os distribuir a quem precisa deles. Há pessoas no país que comem muito mal ou, nos casos mais extremos, nem sempre podem comer todos os dias. Não faz sentido que se deposite em contentores de lixo comida que ainda pode ser servida a pessoas carentes. Pedi uma vez explicações a um empregado de uma superfície comercial sobre as razões por que se atira para o lixo alimentos, e ele disse-me que a entidade empregadora receia que os trabalhadores dessa superfície os comercializem. Mas se já não podem vender certos alimentos, custa oferecê-los a hospitais, prisões, centros de acolhimento de idosos e crianças? Que os proprietários das superfícies comerciais e dos restaurantes considerem a possibilidade de passarem a doar os alimentos que já não querem comercializar a pessoas que têm fome.
Joaquim Lucas|Ingombota


Combate à corrupção
Tenho acompanhado os esforços que têm sido feitos pela justiça angolana para combater a corrupção e punir os que se apoderaram ilicitamente de dinheiros do Estado. Que não haja hesitações neste combate, para que tenhamos um país em que se respeita os bens públicos, que são de todos os cidadãos. Foi muito dinheiro roubado e o Estado deve, por meios apropriados, recuperar esse dinheiro, para que seja afectado a investimentos públicos que beneficiem todos os angolanos.
Esperança Arménio|Calemba II

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia