Opinião

Dia do consumidor

Celebrou-se esta semana o Dia Internacional do Consumidor, uma data importante numa altura em que o consumismo assume contornos de verdadeira preocupação a nível global. Mais do falar sobre os direitos do consumidor, uma realidade inegável hoje em dia, prefiro cingir-me às responsabilidades que um consumidor deve ter.

As empresas fornecedoras de bens e serviços não se cansam de fazer prova de que são as melhores, mais eficazes e prontas a servir. E nem sempre essa melhoria, eficácia ou prontidão correspondem exactamente à qualidade do bem ou serviço a prestar e à satisfação dos clientes.
Precisamos de estar muito atentos para não sermos “escravizados” pelo consumismo e promovermos o consumo moderado. Embora seja natural a tendência para os seres humanos consumirem mais e mais, na verdade, numa data como esta vale a pena fazer algumas reflexões em torno de factores como o consumo e a ganância, entre outros. Como aconselhava um estadista mundial, numa frase com valor proverbial, “há na terra todos os meios para satisfazer as necessidades humanas, mas não há para as ambições”.
Urge moderar o consumo para sermos capazes de preservar um Mundo melhor para as gerações mais novas.

Afonso Duarte | São Paulo

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia