Opinião

Escolas primárias públicas

Jacinta Alberto |Maianga

O ano lectivo já começou e era bom que as entidades ligadas à Inspecção Escolar fizessem visitas às escolas primárias públicas em todo país para saber das condições em que as nossas crianças estudam.

Há escolas primárias públicas em mau estado, não havendo inclusive casas de banho. Que as pessoas que dirigem o sector da Educação deixem por algum tempo os gabinetes climatizados para saberem das preocupações das direcções das escolas primárias públicas e dos encarregados de educação. É preciso que os que têm responsabilidades ao nível da Educação saibam do que se passa neste sector muito importante do nosso país. Há problemas de fácil resolução. Soube que se pretende construir mais escolas para albergar cada vez mais crianças que estão fora do sistema do ensino. Isto é positivo. Mas é necessário também reabilitar as escolas que já existem. Somos muito bons a construir isto e aquilo, mas falhamos na hora de conservarmos bem o que construímos. Que a Inspecção Escolar faça também diagnóstico sobre as condições em que trabalham os nossos professores primários e mandem relatórios às entidades competentes com informações exactas e com recomendações destinadas à resolução imediata dos problemas. Não se deve permitir que as nossas crianças e professores estejam em escolas degradadas, quando não é necessário muito dinheiro para as reabilitar. Um servidor público tem dever de trabalhar incessantemente em prol do bem-estar dos cidadãos, em particular das nossas crianças que têm direito a uma boa qualidade de vida. Que se sigam os bons exemplos das escolas primárias privadas, em termos de organização e gestão. Que se pense em alguma autonomia financeira das escolas primárias para a resolução de pequenos problemas.


Bens do Estado

Tenho apreciado o facto de o Estado pretender recuperar todos os seus bens , legalizá-los , para os colocar ao serviço da comunidade. Um Estado deve ter o controlo de todo o seu património para poder dispor dele no interesse de todos os cidadãos. O Estado gastou muito dinheiro com obras de diversa natureza, mas, ao que parece, não se tem ainda um controlo total de tudo o que se construiu com fundos públicos. Que se continue a trabalhar intensamente para que o Estado recupere o mais depressa possível o que lhe pertence.

Armando Sebastião|Camama


Atenção aos pobres

É necessário que as autoridades prestem muita atenção à situação dos cidadãos pobres que são em grande número no nosso país. Que haja políticas públicas destinas a minorar os problemas das pessoas carenciadas em todo o país. Há pessoas no país que dificilmente conseguem fazer uma refeição por dia, havendo mesmo cidadãos que vão a contentores de lixo à procura de alimentos. É triste. Sei que é muito difícil combater a pobreza , mas pode-se fazer alguma coisa para que compatriotas nossos vivam com menos sofrimento.Temos de deixar de gastar muito dinheiro com coisas supérfluas. Em tempo de crise, o Estado deve evitar comprar, por exemplo, carros muito caros. Quando há crise, deve-se poupar.

Noémia Afonso|Samba

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia